Destaques

O café fez dela poeta

sexta-feira, 2 de março de 2018
Por Carol Estacio,


Foto via, freepik
Ainda estou tentando descobrir o que tem no aroma do café e no clima da noite que deixa tudo mais tranquilo, que faz parecer ser tão possível até os sonhos mais loucos que ousamos ter.

Parece que aquela caneca quente te faz ter as melhores ideias.
Parece que esclarece.

Não me diga que não tem nada demais numa xícara de café.
Café é como aquele relacionamento gostoso: a gente sempre arruma um tempinho, sempre nos arranca um sorriso e o segredo é mantê-lo sempre quente.

Entre o amargo e o doce, prefira o que lhe faz ficar por mais tempo e gostar.

Do que te faz acordar na hora de dormir... Depende.
Depende do que aquele gole lhe desperta.
Desperta a alma e acalma.
Desperta pra vida e inspira.
Desperta a noite junto com as estrelas e brilha.

O gosto amargo vira doce pra quem aprecia.
E já o açúcar pra quem ama o doce só... Hmmm

Ela já tentou guardar as inspirações da noite para escrever de dia, mas se rendeu.
Não se nada contra a maré daqueles boêmios que curtem um gole de café a luz da lua.
As folhas em branco nunca ficaram tão lindas repletas de poesia.
E não a moldura melhor que aquela gota que faz história na folha


Comentários via Facebook

4 Comentários:

  1. Lindo seu texto. Eu não sou uma pessoa de café, sou de chás, mas entendo o que o quentinho de uma bebida gostosa pode fazer.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  2. Como não amar café?! <3
    Que texto mais delicinha, deu até vontade de tomar um! haha
    Beijos!!

    www.negavaidosa.com.br

    ResponderExcluir